História clínica centrada no sujeito: estratégia para um melhor cuidado em saúde

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Bernardino Geraldo Alves Souto
Sissi Marília dos Santos Forghieri Pereira

Resumo

O privilégio do mercado e da tecnologia para consumo que caracterizou o modelo de desenvolvimento social e econômico do século XX desumanizou uma série de práticas. Entre elas, a do cuidado à saúde. A ideia, agora, é redirecionar o progresso tecnológico e científico à pessoa como forma de garantir que tal desenvolvimento gere bem-estar e sirva à vida. Nessa direção, têm surgido propostas alternativas às vigentes para a abordagem de necessidades individuais de saúde. Uma delas sugere que as histórias clínicas destinadas à identificação dessas necessidades tenham como foco o sujeito em sua existência, de modo a compreender e abordar o adoecimento como um fenômeno existencial; uma visão muito além da doença como um evento. Objetivando contribuir para a humanização do cuidado à saúde das pessoas, este texto reflete sobre a questão posta acima e sugere uma sistemática para a construção de histórias clínicas centradas no sujeito, como alternativa à anamnese tradicional, em contribuição ao método clínico centrado na pessoa.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos de Revisão

Referências

1. Lopes JMC. A pessoa como centro do cuidado: a abordagem centrada na pessoa no processo de produção do cuidado médico em Serviço de Atenção Primária à Saúde. Porto Alegre: 2005. [Internet]. [cited 2011 Nov 08]. Available from: http://hdl.handle.net/10183/5873

2. McWhinney IR, Freeman T. Manual de Medicina de Família e Comunidade. 3a ed. Porto Alegre: Artmed; 2010. p. 471.

3. Stewart M, Brown JB, Weston WW, McWhinney IR, McWhinney CL, Freeman TR. Medicina centrada na pessoa: transformando o método clínico. 2a ed. Porto Alegre: Artmed; 2010. p. 376.

4. Sanvito WL. Medicina contemporânea: uma abordagem crítica. Rev Bras Clin Med. 2009;7(2):71-3.

5. Nogueira MI. As mudanças na educação médica brasileira em perspectiva: reflexões sobre a emergência de um novo estilo de pensamento. Rev Bras Educ Med. 2009;33(2):262-70. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022009000200014

6. Fonseca TMG, Kirst PG. O desejo de mundo: um olhar sobre a clínica. Psicol Soc. 2004;16(3):29-34. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822004000300004

7. Burack RC, Carpenter RR. The predictive value of the presenting complaint. J Fam Pract. 1983;16(4):749-54.

8. Sanders L. Todo paciente tem uma história para contar: mistérios médicos e a arte do diagnóstico. Rio de Janeiro: Jorge Zahar; 2010. p. 325.

9. Perestrello D. A medicina da pessoa. 5a ed. São Paulo: Editora Atheneu; 2006.

10. Campos GWS. Saúde paidéia. São Paulo: Hucitec; 2003.

11. Grupo Hospitalar Conceição. Gerência de Ensino e Pesquisa. Proposta pedagógica de educação permanente da GEP/GHC. Porto Alegre; 2005.

12. García C. Medicina centrada en el paciente. Relación médico-paciente, atención médica basada em la diversidad cultural y analfabetismo. In: Rubinstein A, Terrasa S. Medicina familiar e práctica ambulatória. 2a ed. Buenos Aires: Médica Panamericana; 2006. p. 55-63.