Efeito do aumento do fluxo expiratório ativo-assistido em crianças com pneumonia

Rachel da Silveira Campos, Márcia Duarte Candido Couto, Carmen Luzia Lemos de Albuquerque, Arnaldo Augusto Franco da Siqueira, Luiz Carlos de Abreu

Resumo


Objetivo: Analisar o efeito do aumento do fluxo expiratório (AFE) ativo-assistido sobre a freqüência cardíaca, freqüência respiratória e saturação de oxigênio em crianças com diagnóstico de pneumonia. Método: Crianças com diagnóstico de pneumonia, internados na enfermaria pediátrica de um hospital terciário. As variáveis analisadas foram: idade, sexo e antibioticoterapia. As crianças foram submetidas à avaliação de freqüência cardíaca (FC), freqüência respiratória (FR) e saturação de oxigênio (SpO2), antes, imediatamente após a sessão e 5 min após a fisioterapia respiratória utilizando a técnica de higiene brônquica AFE, todas em posição supina. Resultados: Foram avaliadas 48 crianças com idade média das crianças foi de 5,96 + 2,18 anos. Das crianças avaliadas 56,25% eram do sexo feminino. Todas usavam antibióticos e houve diferença significativa entre as três mensurações da FC, FR e SpO2. Conclusão: O aumento do fluxo expiratório produziu diminuição da FC, FR e aumento da SpO2.

Palavras-chave


Pneumonia; fisioterapia respiratória pediátrica

Texto completo:

PDF

Referências


César J, Victora CG, Santos IS, Barros FC, Albernaz EP, Oliveira LM et al. Hospitalização por pneumonia: influência de fatores socioeconômicos e gestacionais em uma coorte de crianças no Sul do Brasil. Rev Saúde Pública 1997;31(1):53-61. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101997000100008

Miyao CR, Gilio AE, Vieira S, Hein N, Pahl MMC, Betta S et al. Infecções virais em crianças internadas por doença aguda do trato respiratório inferior. J Pediatr (Rio J.) 1999;75(5):334-44. http://dx.doi.org/10.2223/JPED.326

Nascimento-Carvalho CM, Souza-Marques HH, Recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria para antibioticoterapia em crianças e adolescentes com pneumonia comunitária. Rev Panan Salud Publica 2004;15(6):380-7. http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892004000600003

Nascimento LFC, Marcitelli R, Agostinho FS et al. Análise hierarquizada dos fatores de risco para pneumonia em crianças. J Bras Pneumol 2004;30(5):445-51. http://dx.doi.org/10.1590/S1806-37132004000500008

Façanha MC, Pinheiro AC. Doenças respiratórias agudas em Serviços de saúde entre 1996 e 2001, Fortaleza, CE. Rev Saúde Pública 2004;38(3):346-50. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102004000300002

Camargos PAM, Guimarães MDC, Drumond EF. Mortalidade por pneumonia em crianças menores de cinco anos de idade em localidade do Estado de Minas Gerais (Brasil), 1979–1985. Rev Saúde Pública 1989;23(5):388-94. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101989000500005

Faria AM, Wakai M, Lopes FM, Costa IC, Aquino MZ, Sato HK et al. Pneumonias por S. pneumoniae em crianças infectadas pelo vírus HIV J Bras Aids 2005;6(3):101-4.

Pernetta C, Sant'Anna CC. Pneumonias na infância. In: Tarantino AB. Doenças Pulmonares. 4a ed. São Paulo: Guanabara Koogan; 1997. p. 277- 83.

Rodrigues JC, Silva Filho LVF, Bush A. Diagnóstico etiológico das pneumonias- uma visão crítica. J Pediatr (Rio J.) 2002;78(Supl 2):129-40.

Lemos MJC. A fisioterapia respiratória como tratamento auxiliar nas infecções respiratórias agudas em crianças desnutridas. Rev Fisioter Mov 2001;14(1):7-20.

Postiaux, Guy. Fisioterapia respiratória pediátrica: o tratamento guiado por ausculta pulmonar. 2a ed. Trad. VS Pinto. Porto Alegre: Artmed; 2004.

Diniz EMA. Pneumonias no período neonatal. In: Marcondes E, Vaz FAC, Romes JLA, Okay Y. Pediatria Básica. 9a ed. São Paulo: Editora Savier; 2003. p. 399-407.

Postiaux G, Ladka K. La Kinésithérapie Respiratoire du Tout- Petit (<24 mois) UIDE par L'auscultation Pulmonaire. Rev Fr Allergol 1997;37(2):206-22.

Ribeiro EC. Monitorização oximétrica de pacientes com infecção pulmonar durante a fisioterapia respiratória. Rev Fisioter Mov 1994;6(2):28-39.

Ferreira DS. Fisioterapia Respiratória. Fisioterapia Brasil – Suplemento CD-ROM. Atlântica Editora; 2003.

Brunetto AF, Paulin E. Importância da fisioterapia pulmonar no tratamento de pneumonias em crianças. Rev Fisioter Nov 2002;14(1):39-45.

Floriani AP, Fernandes MA. Os benefícios da fisioterapia respiratória ambulatorial em crianças portadoras de afecções respiratórias em relação à incidência de internamentos hospitalares. Rev Reabilitar 2003;5(18):21-5.

Ricetto AGL. Zambom MP, Pereira ICMR et al. Complicações em crianças internadas com pneumonia: fatores socioeconômicos e nutricionais. Rev Méd Bras 2003;49(2):191-5.

Gomes FMS, Valente MH. Pneumonias bacterianas agudas. In: Segre CAM, Armellini PA, Miasino WT. Recém-nascido. 4a ed. São Paulo: Editora Savier; 1995. p. 286-92.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.