Estudo comparativo entre os resultados do teste de caminhada de seis minutos e do teste do degrau de seis minutos em pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica

Nadine Cristina Machado, Viviane Natali, Selma Denis Squassoni, Vivian Taciana Simioni Santana, Amanda Cristina Baldin, Elie Fiss, Claudia de Castro Selestrin

Resumo


Introdução: Atualmente, programas de reabilitação pulmonar (PRP) têm se mostrado eficazes na melhora da qualidade de vida dos pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). Para que estes pacientes ingressem em PRP, é necessário que seja avaliada sua capacidade funcional através do teste de caminhada de 6 minutos (TC6) e teste do degrau de 6 minutos (TD6). Objetivo: Analisar a performance dos pacientes com DPOC no TD6 e comparar os resultados obtidos no TC6 com o TD6. Pacientes e métodos: Foram estudados 20 pacientes com DPOC que foram submetidos ao TC6 e o TD6, no qual foram colhidos parâmetros no início (Repouso) e no final dos testes para serem comparados. Resultados: Observaram correlações, estatisticamente não significantes em: Escala de Borg de dispnéia final, Saturação de Oxigênio (SatO2) inicial, Freqüência Cardíaca (FC) final, Pressão Arterial Sistólica (PAS) inicial e final e Pressão Arterial Diastólica (PAD) inicial (p > 0,05) e estatisticamente significantes em: Escala de Borg de dispnéia inicial, Escala de Borg de fadiga de MMII inicial e final, SatO2 final, PAD final e FC inicial (p < 0,05). Conclusão: Foi observado em pacientes com DPOC desempenho semelhante ao realizarem o TD6 comparado com o TC6; quanto à estatística os testes não obtiveram correlação em todas as variáveis avaliadas; o TD6 poderá ser aplicado quando não houver a possibilidade de realizar o TC6.

Palavras-chave


Teste de esforço; teste de esforço, utilização; caminhada, normas; Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, diagnóstico

Texto completo:

PDF

Referências


Oliveira JCA, Jardim JRB, Rrufino RI. Consenso Brasileiro de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). J Pneumol 2000;16:1-44.

Oliveira JCA. Definição, epidemiologia e estadiamento. Curso Pneumoatual. Disponível em: http//www.pneumoatual.com.br. Acesso em 5 maio de 2004.

Rodrigues SL, Mendes HF, Viegas CAA. Teste de caminhada de seis minutos: estudo do efeito do aprendizado em portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica. J Bras Pneumol 2004;30(2): 121-5. http://dx.doi.org/10.1590/S1806-37132004000200008

Rodrigues SL, Viegas CAA. Estudo de correlação entre as provas funcionais respiratórias e o teste de caminhada de seis minutos em pacientes portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). J Pneumol 2002;28(6):1-10. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-35862002000600005

Soares CP et al. Avaliação da aplicabilidade da equação de referencia para estimativa de desempenho no teste de caminhada de 6 minutos em indivíduos saudáveis. Rer Soc Cardiol 2004;14(1):1-6.

American Thoracic Society. Statement by Guideline for the six minute walk test. Am J Respir Crit Care Med 2002;166:111-7. http://dx.doi.org/10.1164/ajrccm.166.1.at1102

Duarte SR. Avaliação clínica da tolerância ao exercício e das trocas gasosas pulmonares nas doenças intersticiais fibrosantes: comparação do teste do degrau de 6 minutos com a cicloergometria de membros inferiores. [Tese de doutorado]. Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina, São Paulo. 2004. p. 9-10, 27, 54-5.

Godoy DV, Godoy RF. Redução dos níveis de ansiedade e depressão de pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) participantes de um programa de reabilitação pulmonar. J Pneumol 2002;28(3):120-4. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-35862002000300002

Moreira MAC, Moraes MR, Tannus R. Teste de caminhada de 6 minutos em pacientes com DPOC durante programa de reabilitação. J Pneumol 2001;27(6):295-300. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-35862001000600002

Guyatt G et al. Effect of encouragement on walking test performance. Thorax 1984;39:818-2. http://dx.doi.org/10.1136/thx.39.11.818

Ford AB, Hellerstein HK. Energy cost of the master two-step test. JAMA 1957:1864-8.

Hadeli KO et al. Predictors of oxygen desaturation during submaximal exercise in 8.000 patients. Chest 2001;120:88-92. http://dx.doi.org/10.1378/chest.120.1.88

Flynn E, O'Driscoll R. Exercise testing in the consulting room. Chest 2002;122:383. http://dx.doi.org/10.1378/chest.122.1.383

Lechuga JBA. Historia del test de esfuerzo en la valoración cardiológica. Revista de La Sociedad Andaluza de Cardiología 1999;33(ano XVII), Diciembre. Disponível em: www.sacardiologia.org/revista. Acesso em 22 de janeiro de 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.