Insegurança alimentar em povos de terreiros

Roberta Rejane Santos de Carvalho, Norma Sueli Marques da Costa Alberto, Theonas Gomes Pereira

Resumo


Introdução: O conceito de segurança alimentar é compreendido como a realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade em quantidade suficiente, sem afetar outras necessidades essenciais. Objetivo: Estimar a prevalência de insegurança alimentar intrafamiliar em povos de terreiros e verificar a associação com indicadores socioeconômicos. Métodos: Estudo transversal que investigou a situação de insegurança alimentar em povos de terreiros de Teresina, Piauí, cuja amostra foi constituída por 137 casas ativas no período de agosto de 2011 a julho de 2012. Foram instrumentos de coleta de dados a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar e um questionário sociodemográfico aplicados ao pai/mãe de santo, após consentirem formalmente sua participação na pesquisa. Para análise das variáveis e da insegurança alimentar, foi utilizado o teste χ2.­­ Resultados: A insegurança alimentar esteve presente em 79,6% dos domicílios, sendo 29,9% de insegurança alimentar leve, 33,6% na forma moderada e 16,1% na grave. Nos domicílios com menores de 18 anos, a prevalência de insegurança alimentar grave foi maior (22,7%) se comparada aos domicílios que possuíam moradores com 18 anos ou mais (14,7%). As variáveis independentes como rendimento mensal e tipo de moradia apresentaram associação inversamente significante à insegurança alimentar. Conclusão: Os resultados expressam a gravidade da situação de insegurança alimentar em povos de terreiro em Teresina, indicam a violação do direito humano à alimentação adequada vivenciada por esse grupo e reforçam a necessidade do poder público agir mais efetivamente com ações de proteção social junto a esses povos

Palavras-chave


segurança alimentar e nutricional; privação de alimentos; programas e políticas de nutrição e alimentação; alimentação básica

Texto completo:

PDF

Referências


Valente FLS. Direito humano à alimentação: desafios e conquistas. São Paulo: Cortez, 2002.

Brasil. Lei orgânica de SAN, de 15 de setembro de 2006. Diário oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo. Brasília, DF, 18 set, 2006. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/consea/static/eventos/losan.polt. Acesso em: 03 jul. 2012.

Burlandy LA. Transferência condicionada de renda e segurança alimentar e nutricional. Ciênc Saúde Coletiva. 2007;12(6):1441-51. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232007000600007

Kepple NA, Segall-Corrêa AM. Conceituando e medindo segurança alimentar e nutricional. Ciênc Saúde Coletiva. 2011;16(1):187-99. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000100022

Belik W. Perspectivas para a segurança alimentar e nutricional no Brasil. Saúde Sociedade. 2003;12(1):12-20. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902003000100004

Marín-Leon.L, Segall-Corrêa AM, Panigassi G, Maranha LK, Sampaio MF, Pérez-Escamilla R. A percepção de insegurança alimentar em famílias com idosos em Campinas, São Paulo, Brasil. Cad Saúde Pública. 2005;21(5):1433-40.http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2005000500016

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa Nacional por amostra de domicílio: segurança alimentar 2004-2009. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

Silva MO. Saindo da invisibilidade: a política nacional de povos e comunidades tradicionais. Inclusão social. 2007;2(2):7-9.

Brasil. Plano Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana. Brasília: Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, 2013.

Silva JM. Religiões e Saúde: a experiência da rede nacional de religiões afro-brasileiras e saúde. Saúde Soc. São Paulo: 2007;16(2):171-77.

Brasil. Mapeamento das comunidades de terreiros de Teresina: uma visão histórica socioeconômica e cultural. Teresina: Secretaria de Assistência Social e Cidadania, 2010.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Alimento: direito sagrado: pesquisa socioeconômica e cultural de povos e comunidades tradicionais de terreiros. Brasília: SAGI; 2011. p.200.

Radimer KL, Olson CM, Greene JC, Campbel CC, Habitch JP. Undestanding hunger and developing indicators to assess it in women and children. J Nutr Educ. 1992; 24 (1Suppl):36S-45S. http://dx.doi.org/10.1016/S0022-3182(12)80137-3

Favaro TR, Zorzatto.Jr DLB, Segall-Corrêa AM, Panigassi.G. Segurança alimentar em famílias indígenas Teréna, Mato Grosso do Sul, Brasil. Cad Saúde Pública. 2007; 23(4):785-93. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2007000400006

Salles-Costa R, Pereira RA, Vasconcellos MTL, Veiga GV, Marins VMR, Jardim BC, et al. Associação entre fatores socioeconômicos e insegurança alimentar: estudo de base populacional na região metropolitana do Rio de Janeiro, Brasil. Rev Nutr. Campinas: 2008;21(0):99s-109s.

Segall-Corrêa AM, Pérez-Escamilla R, Maranha LK, Sampaio MFA, Marín-Léon L, Panigassi G, et al. Projeto: acompanhamento e avaliação da segurança alimentar de famílias brasileiras: validação de metodologia e de instrumento de coleta de informação. Campinas: 2003.

Sampaio MFA, Kepple AW, Segall-Corrêa AM, Oliveira JTA, Panigassi G, Maranha LK, et al. (In) Segurança alimentar: experiência de grupos focais com populações rurais do estado de São Paulo. Segurança Alimentar e Nutricional. 2006; 13(1):64-77.

Carneiro RM, Jaques AA, Alberto NSMC. Insegurança alimentar e fatores associados em uma vila de Teresina - PI. Trabalho de Conclusão de Curso, NOVAFAPI. Teresina: 2008.

Anschau FR, Matsoo,T, Segall-Corrêa, AM. Insegurança alimentar entre beneficiários de programas de transferência de renda. Rev Nutrição. 2012;25(2):177-18.http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732012000200001

Siliprandi E [Internet]. Políticas de alimentação e papéis de gênero: desafios para uma maior equidade. Disponível em: http://www.ieham.org. Acesso em: 10 dez. 2012.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: 2004. Rio de Janeiro: IBGE, 2006.

Programa das Nações Unidades para o desenvolvimento. Atlas do desenvolvimento humano no Brasil. Rio de Janeiro: IPEA, 2003.

Paixão M. Nada a haver ou tudo a ver? Diálogos entre a questão do desenvolvimento econômico e das relações raciais no Brasil. In: Sicsú J, Paula LF, Michel R, organizadores. Novo desenvolvimento: um projeto nacional de crescimento com equidade social. Barueri: Manole, 2005. p. 301-27.

Lopes F. Para além da barreira dos números: desigualdades raciais e saúde. Cad Saúde Pública. 2005;21(5):1595-601. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2005000500034

Panigassi G. Inquérito populacional sobre a percepção da segurança alimentar intrafamiliar no município de Campinas, SP. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.

Leão M. Segurança alimentar e risco de sobrepeso e obesidade em famílias de crianças menores de 6 anos. Brasília: UnB, 2005.

Panigassi G, Segall-Corrêa AM, Marín-Leon L, Perez-Escamilla R, Sampaio MFA, Maranha LK. Insegurança alimentar como indicador de iniquidade: análise de inquérito populacional. Cad Saúde Pública. 2008;24(10):2376-84. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008001000018

Pimentel PG, Sichieri R, Salles-Costa R. Insegurança alimentar, condições socioeconômicas e indicadores antropométricos em crianças da região metropolitana do Rio de Janeiro/Brasil. Rev Bras Est Pop. 2009;26(2):283-94. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-30982009000200008

Vianna RPT, Segall-Corrêa AM. Insegurança alimentar das famílias residentes em municípios do interior do estado da Paraíba, Brasil. Rev Nutrição. 2008;21(Suppl 0):111s-122s. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732008000700010

Segall-Corrêa AM, Marín-Leon L, Helito H, Pérez-Escamilla R, Santos LMP, Paes-Sousa R. Transferência de renda e segurança alimentar no Brasil: análise dos dados nacionais. Rev Nutrição. 2008; 21(Suppl):39s-51s. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732008000700005




DOI: https://doi.org/10.7322/abcshs.v39i1.252

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Roberta Rejane Santos de Carvalho, Norma Sueli Marques da Costa Alberto, Theonas Gomes Pereira