Percepções dos estudantes da área de saúde sobre a obesidade

Juliana Kessar Cordoni, Vanessa Keiko Rossaka, Lígia de Fátima Nóbrega Reato

Resumo


Introdução: A incidência de sobrepeso e obesidade, assim como agravos e comorbidades relacionados, tem se destacado como um dos principais problemas de saúde pública da atualidade. Isso requer o envolvimento de diversos profissionais, em uma conjunção multidisciplinar, para a prevenção, promoção e recuperação da saúde física e psicossocial de pessoas com sobrepeso ou obesidade. Objetivo: Identificar a percepção de estudantes da área de saúde sobre a obesidade, a fim de contribuir com questionamentos e reflexões com relação à formação e atuação deles no tratamento de pessoas com obrepeso/obesidade. Métodos: Esta pesquisa foi realizada por meio da apresentação de figuras, seguida da aplicação
de um questionário dirigido a universitários da área de saúde; e posterior análise qualitativa e quantitativa das respostas. Resultados: Os entrevistados reconheceram a importância do tratamento da obesidade, assim como a necessidade de preocupação com aspectos da saúde; no entanto, os resultados indicam a existência de rejeição e crítica quanto à obesidade na maioria dos entrevistados. Conclusão: Os resultados são um alerta de que a questão da obesidade precisa ser mais bem abordada nos cursos de formação da área da saúde, para reduzir os efeitos negativos dessa rejeição/crítica no decorrer do tratamento de tais pacientes. Considerando-se o impacto de aspectos psicológicos e emocionais dos profissionais envolvidos no tratamento e a escassa produção técnica-científica sobre o tema, sugere-se a produção de outras pesquisas, assim como deve-se intensificar a abordagem e sensibilização dos estudantes quanto à questão da obesidade como um distúrbio alimentar de relevância pública.


Palavras-chave


obesidade; percepção; saúde; estudantes

Texto completo:

PDF

Referências


World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic. Geneva: WHO; 2000.

Pinheiro AR, Freitas SF, Corso AC. Uma abordagem epidemiológica da obesidade. Rev Nutr. 2004;17(4):523-33. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732004000400012

Fisberg M. Obesidade na infância e na adolescência. Porto Alegre: Fundação Byk; 1995.

Boog MC. Educação nutricional em serviços Públicos de Saúde. Cad Saúde Pública. 1999;15(Suppl 2):S139-47. http://dx.doi.org/10.1590/S0102- 311X1999000600014

Assumpção JR, Francisco B, Kaczynski E. Tratado de psiquiatria da infância e adolescência. São Paulo: Atheneu; 2003.

Almeida GA, Loureiro SR, Santos JE. A imagem corporal de mulheres morbidamente obesas avaliadas através do desenho da figura humana. Rev Psicol Reflex Crít. 2002;15(2):283-92. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722002000200006

Nunes MA, Appolinario JC, Galvão AL, Coutinho W. Transtornos alimentares e obesidade. São Paulo: Artmed; 2006.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa de orçamentos familiares 2008-2009: análise do consumo alimentar pessoal no Brasil. Rio de Janeiro; 2011.

Serra GM, Santos EM. Saúde e mídia na construção da obesidade e do corpo perfeito. Cienc Saúde Coletiva. 2003;8(3):691-701. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232003000300004

Serra GMA. Saúde e nutrição na adolescência: o discurso sobre dietas na revista capricho. Dissertação (Mestrado) – Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 2001, p. 17-27.

Puhl RM, Heuer CA. The stigma of obesity: a review and update. Obesity. 2009;17(5):941-64. http://dx.doi.org/10.1038/oby.2008.636

Segal A, Fandino J. Indicações e contra- indicações para realização das operações bariátricas. Rev Bras Psiquiatr. 2002;24(Suppl 3):68-72. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-44462002000700015

Ferrarini MG, Dias TS, Silva KZ, Martins CS. Auto-imagem corporal de adolescentes atendidos em um programa multidisciplinar de assistência ao adolescente obeso. Rev Bras Saúde Materno Infantil. 2005;5(1):27-33.

http://dx.doi.org/10.1590/S1519-38292005000100004

Zottis C, Lanbronici LM. O corpo obeso e a percepção de si. Cogitare Enferm. 2002;7(2):21-9.

http://dx.doi.org/10.5380%2Fce.v7i2.1665

Vilhena J, Novaes JV, Rocha L. Comendo, comendo e não se satisfazendo: apenas uma questão cirúrgica? Obesidade mórbida e o culto ao corpo na sociedade contemporânea. Rev Mal Estar Subjet. 2008;8(2):379-406.

Laurini KC. Obesidade feminina: olhares sobre o corpo. Piracicaba: Unimep; 2009.

Lefèvre F, Lefèvre AM, Teixeira JJ. O discurso do sujeito coletivo: uma nova abordagem metodológica em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul: EDUCS; 2000.

Repetto G. Histórico da obesidade. In: Halpern A, Godoy MA, Suplicy HL, Mancini C, Zanella MT. Obesidade. São Paulo: Lemos; 1998.

Veggi AB, Lopes CS, Faerstein E, Sichieri R. Índice de massa corporal, percepção do peso corporal e transtornos mentais comuns entre funcionários de uma universidade no Rio de Janeiro. Rev Bras Psiquiatr. 2004;26(4):242-7.

http://dx.doi.org/10.1590/S1516-44462004000400007

Schilder P. A imagem do corpo. São Paulo: Martins Fontes; 1994.




DOI: https://doi.org/10.7322/abcshs.v39i3.651

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Juliana Kessar Cordoni, Vanessa Keiko Rossaka, Lígia de Fátima Nóbrega Reato

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/