Monitoria acadêmica e formação profissional em saúde: uma revisão integrativa

Laís Vargas Botelho, Ana Eliza Port Lourenço, Maria Gouvêa de Lacerda, Larissa Escarce Bento Wollz

Resumo


A monitoria é uma estratégia que pode auxiliar na formação profissional em saúde, ao proporcionar um canal dialógico entre docentes e discentes e favorecer os processos de ensino-aprendizagem. Sendo assim, o objetivo deste estudo foi revisar a literatura sobre monitoria e formação profissional em saúde no Brasil, identificando suas potencialidades e dificuldades. Trata-se de uma revisão integrativa com busca sistemática de artigos publicados até abril de 2017 nas bibliotecas SciELO e Biblioteca Virtual em Saúde. Foram recuperados 13 artigos, a maioria sobre monitoria em instituições públicas do Sul e Sudeste, sendo sete somente sobre Enfermagem ou Medicina. Identificou-se como potencialidades da monitoria: estreitamento de relações entre alunos, ampliação do aprendizado e da autonomia discente e aproximação do monitor à docência. As dificuldades foram: escassez de tempo para trabalho em equipe e baixa adesão dos alunos às atividades. Observou-se que a maioria dos estudos possui cunho descritivo e não enfatiza os aspectos teórico-pedagógicos relacionados. Ainda assim, o conjunto dos artigos sugere que a monitoria tem potencial de agregar ao aprendizado autonomia, criticidade e humanização, em consonância com os princípios do Sistema Único de Saúde. Conclui-se que o tema da monitoria encontra-se permeável para novos estudos e reflexões acerca do processo de ensino e aprendizagem voltado às especificidades das diferentes profissões da área de saúde. Seria pertinente discutir nas diversas instâncias acadêmicas os proveitos da monitoria a fim de incorporá-la ao currículo formal e favorecer a participação dos graduandos.


Palavras-chave


mentores; Educação superior; capacitação de recursos humanos em saúde; ensino

Texto completo:

PDF

Referências


Vasconcelos CM, Pasche DF. O Sistema Único de Saúde. In: Campos GWS. Tratado de Saúde Coletiva. 2ed. São Paulo: Hucitec, 2012; p.531-62.

Paim JS. Sistema Único de Saúde (SUS) aos 30 anos. Ciênc Saúde Coletiva. 2018:23(6):1723-8. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832001000200012

Campos GWS. SUS: o que e como fazer? Ciênc Saúde Coletiva. 2018:3(6):1707-14. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018236.05582018

Batista CB. Movimentos de reorientação da formação em saúde e as iniciativas ministeriais para as universidades. Barbarói. 2013:(38):97-125. http://dx.doi.org/10.17058/barbaroi.v0i38.2567

Costa MV, Borges FA. O pró-PET frente ao processo de formação profissional de saúde. Interface. 2015:19(Suppl.1):753-63. http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622014.1057

Frenk J, Chen L, Bhutta ZA, Cohen J, Crisp N, Evans T, et al. Health professionals for a new century: transforming educations to strengthen health systems in na interdependent world. Lancet. 2010:376(9756):1923-58. http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(10)61854-5

Santos LRCS, Sampaio RJ. Crise social das instituições de ensino superior e a formação em saúde para o mercado. Saude Debate. 2017:41(3):277-87. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832001000200012

Brasil. República Federativa do Brasil. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 14 mar. 2018.

Frison LMB. Monitoria: uma modalidade de ensino que potencializa a aprendizagem colaborativa e autorregulada. Pro-posições. 2016:27(1):133-53. http://dx.doi.org/10.1590/0103-7307201607908

Burke P. Uma história social do conhecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

Vasconcelos EM. Educação popular: instrumento de gestão participativa dos serviços de saúde. In: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Caderno de Educação Popular e Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2007; p.18-29.

Freire P. Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Paz e Terra; 2005.

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Humanização (PHN). Brasília: Ministério da Saúde. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/ bvs/publicacoes/politica_nacional_humanizacao_pnh_folheto.pdf. Acesso em: 14 mar. 2018.

Brasil. República Federativa do Brasil. Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 14 mar. 2018.

Vosgerau DS, Romanowski JP. Estudos de revisão: implicações conceituais e metodológicas. Rev Diálogo Educ. 2014:14(41):165-89. http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.14.041.DS08

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2008:17(4):758-64. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018

Borsatto AZ, Silva PDD, Assis F, Oliveira ENCC, Rocha PR, Lopes GT, et al. Processo de implantação e consolidação da monitoria acadêmica na UERJ e na Faculdade de Enfermagem (1985-2000). Esc Anna Nery. 2006;10(2):187-94. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-81452006000200004

Albuquerque MAC, Amorim AHC, Rocha JRCF, Silveira LMFG, Neri DFM. Bioquímica como sinônimo de ensino, pesquisa e extensão: um relato de experiência. Rev Bras Educ Med. 2012;36(1):137-42. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022012000100019

Santos GM, Batista SHSS. Monitoria acadêmica na formação em/para saúde: desafios e possibilidades no âmbito de um currículo interprofissional em saúde. ABCS Health Sci. 2015;40(3):203-7. https://doi.org/10.7322/abcshs.v40i3.796

Dantas OM. Monitoria: fonte de saberes à docência superior. Rev Bras Estud Pedagog. 2014;95(241):567-89. http://dx.doi.org/10.1590/S2176-6681/301611386

Mano GCM, Carlos SA. Prática de monitoria e construção de território. Psico. 2010; 41(4):473-8.

Soares ALAG, Dias CP, Vidal EIO, Coeli CM, Almeida LM, Camargo Júnior KR. Utilização de um serviço de monitoria virtual voltado para o ensino de epidemiologia na graduação médica. Physis. 2003;13(1):39-58. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312003000100003

Fourez GA. Construção das Ciências: introdução à filosofia e à ética das ciências. São Paulo: UNESP, 1995.

Costa NMSC. Formação pedagógica de professores de nutrição: uma omissão consentida? Rev Nutr. 2009;22(1):97-104. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732009000100009

Damiance PRM, Tonete VLP, Daibem AML, Ferreira MLSM, Bastos JRM. Formação para o SUS: uma análise sobre as concepções e práticas pedagógicas em saúde coletiva. Trab Educ Saúde. 2016;14(3):699-721. http://dx.doi.org/10.1590/1981-7746-sol00014

Cechinel MP, Lopes GT, Oliveira ACH, Camacho KG. As relações sociais entre os diferentes sujeitos da monitoria acadêmica em um centro biomédico. Rev Enferm UERJ. 2005;13:51-56.

Natário EG, Santos AAA. Programa de monitores para o ensino superior. Estud Psicol. 2010; 27(3):355-64. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2010000300007

Assis F, Borsatto AZ, Silva PDD, Peres PL, Rocha PR, Lopes GT. Programa de Monitoria Acadêmica: percepções de monitores e orientadores. Rev Enferm UERJ. 2006;14(3):391-7.

Almeida MCP, Mishima SM. O desafio do trabalho em equipe na atenção à Saúde da Família: construindo “novas autonomias” no trabalho. Interface Comun Saúde Educ. 2001;5(9):150-3. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832001000200012

Abreu TO, Spindola T, Pimentel MRAR, Xavier ML, Clos AC, Barros AS. A monitoria acadêmica na percepção dos graduandos de enfermagem. Rev Enferm UERJ. 2014;22(5):507-12. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832001000200012

Carvalho IS, Lima Neto AV, Freitas Segundo FCF, Carvalho GRP, Nunes VMA. Monitoria em semiologia e semiotécnica para a enfermagem: um relato de experiência. Rev Enferm UFSM. 2012;2(2):464-71. http://dx.doi.org/10.5902/217976923212

Haag GS, Kolling V, Silva E, Melo SCB, Pinheiro M. Contribuições da monitoria no processo ensino-aprendizagem em enfermagem. Rev Bras Enferm. 2008;61(2):215-2. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672008000200011

Albuquerque GS, Mendes RRS, Rocha BC, Carreiro MC. Monitoria de técnica operatória e cirurgia experimental e sua relevância na formação médica. Rev Bras Educ Méd. 2012;36(4):564-9. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022012000600017




DOI: https://doi.org/10.7322/abcshs.v44i1.1140

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Laís Vargas Botelho, Ana Eliza Port Lourenço, Maria Gouvêa de Lacerda, Larissa Escarce Bento Wollz

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.